Follow by Email

domingo, 30 de dezembro de 2007

Reflexões (de ano velho) e Resoluções (de ano novo)

Mais um ano que se passa, 2007 vai chegando ao fim. E como passou rápido! Chego a ficar arrepiada quando penso na velocidade da vida. Tanta coisa aconteceu nesses 367 dias. Amizades que se solidificaram, outras que nem chegaram a nascer; gente que ficou pra trás, muitas que ainda me aguardam. Emprego novo, diferentes desafios e objetivos.

Foi uma correria. Organizar casamento, procurar apartamento, fazer enxoval... Comecei o ano sem nada, chego ao final com muita coisa. A festa e a cerimônia estão 90% organizadas. E é muito mais do que sonhei. O apartamento está comprado, agora que estou com as chaves na mão posso anunciar a nova morada. Boa parte do meu orçamento foi para montar, comprar as coisas do novo lar doce lar. E acho que me saí bem nesse desafio.

Em setembro, precisamente dia 14, veio o medo do desemprego. Fui demitida da TV Clube e um misto de alívio e revolta tomou conta da minha alma. Dediquei muito da minha energia para a empresa, engoli muitos sapos, assumi muitos erros que não eram meus, me sobrecarreguei, mas não deixei nem um minuto de lado minha ética (pessoal e profissional), meus valores, minha dignidade. Puxa-saco nunca fui, nunca serei. Nem gosto de bradar aos quatro ventos o quanto sou profissional, o quanto sou maravilhosa. Até porque não sou, apenas procuro fazer minha parte. A demissão me fez questionar alguns dos meus atos e no meio da minha raiva eu me perguntei: "será que só é reconhecido e valorizado aqueles que passam por cima dos outros, aqueles que mentem, que exploram, que sugam? Será que a promoção só vem pra quem se vende (a alma e o corpo)?" A reposta veio da boca do meu pai, que me disse: "ética é um princípio que não pode ter fim".

Resposta eu também tive da vida, que em três semanas me deu um novo emprego, um novo desafio. E que desafio! Trabalhar com jornalismo policial era a última coisa que imaginei fazer. E aí cá estou eu quebrando os meus próprios preconceitos. Acreditem, a experiência é rica e, muitas vezes, gratificante. Além disso, o ambiente de trabalho é leve, ainda que existam os velhos problemas causados pela convivência de tantas pessoas diferentes. Mas, posso garantir que mais se trabalha do que se fala da vida alheia. E eu adoro trabalhar.

Desafio também foi frequentar a Escola de Magistratura! Esse, eu admito, fracassei mais uma vez. E, definitivamente, desisto. Essa foi uma das minhas decisões de fim de ano. Um dia eu conto em detalhes tudo o que passei.

E pra 2008? Hum... São tantos os planos, tantas são as expectativas. Acho que nunca cultivei tanta ansiedade por um novo ano. Frio na barriga instalado! Será que vai dar certo?? Aí ontem, no meio da "solidão" de quem foi "abandonada" pelo noivo e pelos pais - que viajaram - , fui passear na Livraria Cultura. Voltei ao som de um antigo disco dos Engenheiros do Hawaii (tinha em LP e não resistir a comprar o CD). Foi uma viagem no tempo! Consegui me ver adolescente, cheia de sonhos com o futuro. E o futuro chegou. E se misturou com o passado. E foi uma salada de emoções. Já nem sabia quem eu era, mas sabia que ainda era a mesma. A menina de 17 anos se transformou na mulher de 32, porém com os mesmos valores. Tem coisa que o tempo nunca vai poder mudar, nem me tomar...

E, exatamente como há 15 anos, eu tenho algumas promessas de ano novo. Podem me cobrar!

1 - Vou ser mais vaidosa. Sair de casa só com batom e corretivo nas olheiras;

2 - Seguindo a linha vaidosa VOU SIM fazer exercícios físicos, afinal vou ser vizinha do Parque da Jaqueira (chiiiiiiiiiiiic d+);

3 - Vou ler mais livros;

4 - Vou ouvir mais músicas (Já ganhei até um MP3);

5 - Vou jogar fora o vestido rasgado (morta de pena, mas vou!);

6 - Vou manter os amigos por perto, chega de distâncias;

7 - Vou ser mais generosa e menos apegada;

8 - Vou ser mais organizada e vou manter durante todo o ano minha agenda atualizada;

9 - Vou ser menos preocupada;

10 - Vou sorrir mais e ser menos rabugenta;

11 - Irei mais ao cinema;

12 - Vou ser mais solidária;

13 - Vou acessar menos o Orkut;

14 - Vou me dedicar muito ao meu trabalho e a minha família; e

15 - Não vou esquecer nem por um minuto de quem eu sou!

___________________________________________________________________

Pra vocês entenderem um pouco do que falei sobre a minha viagem no tempo coloco aqui uma das letras das músicas do CD que me lembrou quem sou...

Nunca se sabe - Engenheiros do Hawaii

Sei que parecem idiotas
As rotas que eu traço
Mas tento traçá-las eu mesmo
E, se chego sempre atrasado
Se nunca sei que horas são
É porque nunca se sabe
Até que horas os relógios funcionarão
Sem dúvida a dúvida é um fato
Sem fatos não sai um jornal
Sem saída ficamos todos presos
Aqui dentro faz muito calor
Sempre parecem idiotas
As rotas que eu faço
Sempre tarde da noite
E se ando sempre apressado
Se nunca sei que horas são
É porque nunca se sabe
É porque nunca se sabe

Nem sempre faço o que é
Melhor pra mim
Mas nunca faço o que eu
Não tô afim de fazer
Nem sempre faço o que é
Melhor pra mim
Mas nunca faço o que eu
Não tô afim

Não quero perder a razão
Pra ganhar a vida
Nem perder a vida
Pra ganhar o pão
Não é que eu faça questão de ser feliz
Eu só queria que parassem
De morrer de fome a um palmo do meu nariz
Mesmo que pareçam bobagens
As viagens que eu faço
Eu traço meus rumos eu mesmo (a esmo)
E se nunca sei a quantas ando
Se ando sem direção
É porque nunca se sabe
É porque nunca se sabe

Nem sempre faço o que é melhor pra mim
Mas nunca faço o que eu
Não tô afim de fazer
Não viro vampiro, eu prefiro sangrar
Me obrigue a morrer
Mas não me peça pra matar, não!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Solteiros

Tá vendo a fotinho desses dois aí embaixo? Pois é, esse é o nosso último Natal solteiros. Ano que vem, segundo ele, será a "arenga" para ver onde iremos passar a noite feliz. Ele nem sabe, mas eu tenho umas boas idéias... Mas, o natal é o de 2007 e estou aqui para deseja a todos uma noite mágica, cheias de presentes de Papai Noel. E o mais importante: Que Jesus Cristo e seu exemplo estejam presentes na vida de cada um durante todo o ano. Saúde, amor, alegrias, harmonia e muita, muita paz.
FELIZ NATAL!!!!!!!!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Felicidade


Uma praça, um saco de pipocas, muitas luzes de Natal e um amor. Não preciso de muita coisa para ser FELIZ... :)

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Dicas valiosas - Você não pode viver sem!

Ontem eu ia para o Jogo do Náutico x Flamengo, ingresso na mão e tudo, mas desistir. Fui almoçar com meus pais e depois quando pensei naquele sol de rachar, às três da tarde... Fui pro aconchego do lar e assistir TV.

Como não aguento Faustão fiquei zapeando na cabo, parei no GNT. Num programa qualquer, uma enquete sobre o que é “In” e “out”na praia. Fico impressionada com a quantidade de gente imbécil que tem acesso a mídia. Uma dessas peruas frustradas falou que a primeira coisa é ter um corpo lindo, “senão é melhor ficar em casa”. Como pode uma coisa dessas? Quer dizer então que em um país miséravel, onde a maior parte da população é de baixa renda e a praia a maior diversão gratuita quem não está com o corpo “em ordem” não pode frenquentá-la???

As pessoas deviam parar um pouco pra pensar antes de sair dando entrevistas por aí. Tudo bem que vivemos em um país livre e eu estava assistindo uma TV paga, mas cidadania deveria ser nosso primeiro compromisso.

Mas essa não foi a única pérola da inteligencia não. Está PROIIIIBIDO usar a canga amarrada na cintura!!! Já pensaram o quanto isso vai mexer com a nossa vida??? Sai de cena as cangas e voltam as toalhas. Ahh, mas não são simples toalhas, são as de grife. Louis Vuitton, Dolce & Gabana, Gucci... Não sei o que farei com a minha made in sulanca! Passei o domingo preocupada com isso. Mas as havaianas estão liberadas. Ufa! Apesar de que as havaianas ficaram caras demais e eu só uso as genéricas.

Outras dicas também importantes, copiem e colem:

1 – Chápeus sim; bonés jamé
2 – Nada de saltos (ótima essa, alguém ia de salto pra praia? Que lindo...)
3 – Protetor solar sempre (extraordinária essa)
4 – Pente é indispensável (não vou comentar)
5 – Sacolão (pensei que fosse praia, não feira...)
6- Ah.. e também não pode mais levar cadeira, mas minha inteligência me impediu de entender porque...

... E o Náutico venceu o Flamengo e eu devia ter ido, teria sido mais proveitoso!!

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Meta

- 20
Prazo = 3 meses
Tenho dito!

domingo, 25 de novembro de 2007

Alimentos

Estava voltando pra casa hoje a noite, rádio ligado e nada me agradava. Zapiei e cheguei na CBN, estava um terapeuta dando conselhos aos ouvintes. Só ouvi uma senhora que contou a estório do filho e da nora. O filho era um santo, a esposa uma bruxa (ahhhh, as sogras...) e recém-casados foram morar com ela. O problema é que todos eram maravilhosos com a danada na menina, que não tinha jeito: era megera.

Não sei bem o que esta senhora queria ao ligar para um programa de rádio e contar essa estória, mas a primeira pergunta do terapeuta foi "e seu filho, não era mauzinho não, né?".

- Nãooooo, de jeito nenhum! Ele sempre foi muito generoso! Ela que não tinha jeito.

- Mas é que em casos como este a generosidade é um defeito. O egoísta - e realmente parecia que esta moça era realmente muito má - se alimenta da generosidade alheia. Então, quanto mais generosos somos com os egoítas, mais eles serão egoístas.

Acho que não precisamos ser terapeutas para concluir isso, difícil é elaborar essa teoria no meio do caos. Cheguei em casa e não ouvi o resto, mas uma luz se acendeu. A gente é, na verdade, responsável por tudo que nos acontece. Não adianta rejeitar ardentemente uma coisa se o que fazemos é alimentá-la! E eu já tinha pensado nisso, mas não tinha levado muita fé nas minhas próprias conclusões. Foi preciso que, num domingo a noite eu, sem alternativas melhores, sintonizasse uma rádio qualquer, num programa qualquer, ouvisse de um doutornãoseidequê o que precisava para repensar minhas próprias atitudes.

E você, o que alimenta no outro aquilo que lhe faz mal?

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

De fora...

... Por conta da minha demência vou ficar de fora do clip de final de ano da tv! Era pra vir de branco e eu, claro, esqueci!!! :((((

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Eu não quero um milhão de amigos

Quanto mais eu conheço as pessoas, menos eu conheço as pessoas. E nessa era virtual então... Como é fácil descobrir contradições, mentiras. O mais incrível para mim é a, digamos assim, despreocupação ou a falta de compromisso com a verdade. E olhe que eu já nem acho mais que você deva dizer diretamente às pessoas o que pensa delas.
Está tão difícil confiar nas pessoas. Eu até tinha desencanado um pouco disso, mas, devo admitir, que andei visitando os orkuts de uns "amigos". Decepcionante você servir de ombro amigo para uma pessoa magoada que, por isso, fala tudo o que pensa e sente sobre outra. Alguém que te diz que sente nojo, que jamais voltará a falar com essa outra e bla, bla, bla. Meses depois encontro recados cheios de saudades e de juras de reencontro. Onde está a verdade? Pra quem foi a mentira? Talvez pra ela própria, né?
E então você deve estar se perguntando por que eu estou perdendo meu tempo escrevendo sobre duas pessoas que têm esse tipo de comportamento? E eu respondo. Porque gosto muito de uma delas, alguém que considerava e que achava que não teria esse tipo de atitude.
Infelizmente fica cada vez mais claro que os amigos a gente constrói mesmo quando ainda somos bem jovens, quando ainda não entramos num mercado de trabalho cheio de interesses mesquinhos. Não adianta acreditar que as pessoas só crescem por competência, não adianta acreditar que casos com chefes não existem e que esses boatos são fruto de pessoas invejosas. Não!!! Eles existem sim! E assim muita gente cresce na vida. Idiota eu que não acreditava nisso! E sim, pessoas ganham promoções em troca de puxação de saco! É real! E quem não se vende, de alguma forma, acaba ganhando demissão.
É frustrante, é nojento, é... Nos dias que se seguiram ao 14 de setembro eu me prometi que deixaria de ser "otária", que também iria ser falsa, interesseira e bem menos inocente. Só que é impossível pra mim, eu simplesmente não consigo. Não me vejo dizendo a uma pessoa que estou morrendo de saudades dela se na verdade eu nem quero olhar na cara. Eu não aceito, eu não desço tão baixo!!!
Sei que a conta por isso é alta, mas tomei uma decisão. De hoje em diante eu só me concentro nas pessoas pelas quais tenho uma profunda e intensa admiração. E, graças a Deus, elas são muitas! Podem estar no Amazonas, em Paris ou aqui do lado de minha casa. São essas que valem a pena. Por isso, caríssimos, não estranhem se, de repente, você não fizer mais parte da minha lista de amigos no Orkut. Até lá eu só quero os verdadeiros.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Às vezes...

... Eu me sinto tão, mas tão frustrada...

domingo, 11 de novembro de 2007

2007 passou como um furacão. Essa semana me surpreendi quando entrei no shopping e vi toda aquela decoração natalina, com direito a neve e tudo. Confesso que adoro essa época, sentimentos bons me tomam a alma, lembranças gostosas invadem minha mente, dá uma saudade da infância, dos amigos secretos do final do ano no Vera Cruz.

Aí me dei conta que cresci e que este será meu último natal solteira e aí eu, em pleno shopping, fiquei com os olhos cheios de lágrimas. Confesso que eu tenho um sério problema com essa coisa de crescer, virar adulta... Sério problema mesmo, daqueles que mereciam uma terapia. Às vezes acho que eu seria feliz na Terra do Nunca.

É que sendo racional eu não sei qual a vantagem de sair da casa dos pais e assumir um monte de responsabilidades, inclusive as financeiras. Ser a responsável pela administração de uma casa, lavar, passar, fazer a feira. Pra quê tudo isso se você teve a vida inteira uma pessoa pra fazer isso por você? Eu heim.. Os adultos são meio infantis.

Por isso 2008 pinta como um ano de grandes mudanças pra mim. Vamos ver como é essa história de ser adulta de verdade. Grandes expectativas. Acho que já comecei a amadurecer, a peceber que muitas vezes é preciso recuar em algumas coisas, mas que em outras é preciso mesmo insistir. Casar não significa se anular, mas mais do que nunca ser você mesma. E insistir em ser você mesma. E eu me dei conta de que estava encarando tudo de uma forma errada por causa dos meus próprios pensamentos.

Quando adolescente eu não queria casar porque achava que isso iria atrapalhar meus sonhos de correr o mundo. Costumava dizer que o mundo era bem maior do que a cidade do Recife e que eu merecia desbravá-lo. Casamento, no mínimo, não me ajudaria. Sem contar que era chocante ver uma adolescente com pensamentos tão diferente dos da maioria e eu adorava isso. Outro dia encontrei uma antiga amiga de colégio numa sorveteria. Eu estava com meu noivo e assim que ela me viu perguntou se eu tinha casado. Quando eu respondi que ainda não, mas que já estava marcado, ela disse pra ele: " meu filho cuidado, case logo porque se não ela vai correr, essa mulher vivia dizendo que não queria casar, portanto case logo!" Ai que deu uma saudade daquela época de sonhos.

Quinze anos depois eu continuo a mesma sonhadora, bem menos criativa e original. Pego-me sonhando com a casa administrada por mim, com o supermercado feito por mim, com as contas pagas por mim. E esse sim, é o meu mundo, que pode nem ser tão grande, mas que é verdadeiramente meu. E assim eu acho que virei adulta.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Não-ajuda

Eu diria que trabalhar, ainda que como jornalista, na Escola de magistratura não me ajudou ou incentivou em nada a seguir na área jurídica, pelo contrário...

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

ANSIOSA

Escrever ajudou o tempo a passar, a paciência do computador também e agora só faltam 17 minutos para eu ter uma resposta muito, muito importante e decisiva na minha vida. Confio em Deus, acredito na vida, sei que ela tem sempre razão, mas devo confessar, o dia está ansioooooso e eu uma pilha. Bem carregada.

Sem palavras

Eu tinha tantas coisas pra contar, muitos acontecimentos que eu gostaria de comentar. Acho que faltou coragem, disposição, inspiração para sentar e começar. Às vezes eu sou assim, preguiçosa. O tempo passa e as coisas acabam perdendo o sentido.

Há algumas semanas li um livro maravilhoso, "O monge e o executivo" e, vejam só como eu sou. Final de 2006, estava com uma amiga no shopping quando entramos em uma livraria. Lá pelas tantas ela me apontou o livro e disse "é ótimo" e eu o comprei. Pois não é que só o li agora, quase um ano depois?!

Aprendi com essa leitura uma fórmula mágica. INTENÇÃO - AÇÃO = NADA; INTENÇÃO + AÇÃO = VONTADE. De que adianta eu ter a intenção de escrever e não o fazer? Preciso agir para fazer acontecer. E comecei a pensar sobre mim mesma. Quantas vezes não me senti injustiçada porque estava cheia de boas intenções? Tantas vezes deixei de ligar para amigos nos dias de seus aniversários, mesmo lembrando! Mas, eu me permitia fazer isso, afinal TINHA a intenção de ligar e pra mim isso bastava. Confesso que lendo o que estou escrevendo dá uma vergonha, um sentimento ruim em relação a mim mesma, sabe?

É tão difícil reconhecer nossos defeitos, por mais que saíbamos o que está errado. Sempre escutei as pessoas falarem que eu sou muito calma. Foi assim na minha formatura de jornalismo. Nossos oradores citaram cada um dos formandos junto com um adjetivo. "Laura e sua calma" foi o que ouvi quando chegou minha vez. Semana passada, durante o trabalho, uma colega que acabara de me conhecer disse: Laura você é bem calma, não é? E ontem, numa conversa no msn, com uma amiga/noiva/virtual (que nem me conhece), li a pergunta "Laurinha vc é bem calma, né?"

E aí eu tô me perguntando será que essa calma toda é uma coisa boa? O que será que estão me dizendo com isso? Que eu sou demente? Que não me importo com as coisas? Que não dou a devida atenção que o momento merece? Que sou desleixada? Ou será que sou uma pessoa segura? Que transmite paz, tranquilidade? Que sabe o que está fazendo? Eu confesso que não sei, mas sei que venho negligenciando muita coisa e talvez seja isso o que muita gente esteja traduzindo como "calma".

E eu não quero isso, independente da resposta, eu não quero ser uma "pessoa calma", até porque isso não traduz a verdade do que se passa com meu coração. Sou extremamente ansiosa, crítica, chata, detalhista. E se eu não dou gritos quando ainda tem uma matéria sendo editada para um jornal que já está no ar é porque eu sei que gritos não vão ajudar e também porque confio na responsabilidade de quem estar cobrindo as imagens. Talvez seja aí o ponto em que esteja errada... vai saber?!

Momentos de reflexão, de olhar mais pra dentro, de me conhecer e melhorar. Como pessoa, como mulher, como profissional. Muitos outros textos sobre essa minha introspecção estão por vir, estejam certos disso.

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Laura e o Rato Desgosto

Como todas as manhãs, Laura abriu o armário para tirar um vestido. Que horror! Adivinha o que encontrou escondido no fundo? Um grande rato dos esgotos, que ria com todos os dentes. Laura quis gritar, chamar os pais, mas o grande ratão preveniu-a, apontando-lhe um revólver à testa:

— Se gritares, mato-te. Se me denunciares, desfaço-te.

Então, Laura fechou a boca a cadeado, assim como o armário e todos os sentidos do seu corpo.

Ela bem queria pôr um cadeado no armário e esquecer, mas, todas as manhãs e todas as noites, o rato gordo dos esgotos batia na porta com a cabeça, até ela a abrir.

À noite, todos os dias, ao abrir a porta para se vestir ou despir, lá estava o rato gordo. Laura despachava-se a tremer, mas não se atrevia a dizer nada. Por quê? Talvez porque o rato grande dos esgotos não fosse criança e se deva obedecer às pessoas crescidas, mesmo que sejam dos esgotos, não é verdade? Era o que Laura pensava.

Uma noite, o rato disse-lhe, com olhos terríveis:

— Quero ser o teu ursinho. Dá-me um beijo de boa-noite, se não, levas uma palmada.

Então Laura chorou, mas deu-lhe um beijo, o que achou horrível. Só que ela já não sabia muito bem o que era horrível e o que era agradável, porque, como já disse, ela tinha fechado, trancado e bloqueado tudo dentro dela. O rato estava, evidentemente, todo satisfeito, e disse, enquanto fumava o seu charuto:

— Todas as noites vens dar-me o meu beijo, minha linda. Assim quero e assim tem de ser.

O grande rato dos esgotos exigia coisas do arco-da-velha.

— Olha — dizia ele — lava-me estas peúgas fedorentas e põe-nas a secar. Quero todas as tuas bonecas. Aborreço-me aqui sozinho dentro do armário.

Um dia, o rato disse-lhe:

— Traz-me um bombom. Traz-me o teu bolo de arroz e as tuas batatas fritas.

E Laura lá lhos levou. Deu-lhe também os seus copos de leite, o lanche, o jantar e tudo o que ela comia de manhã, à tarde e à noite.

Um dia, pediu-lhe o sono, depois, os seus lindos sonhos cor-de-rosa. Quando se é rato de esgoto, só se tem sonhos horríveis. Ele deu-lhe os pesadelos negros e ela deu-lhe os seus sonhos cor-de-rosa.

Os pais de Laura começaram a ficar preocupados porque a viam emagrecer e perder o sono, sem saberem que Laura dava tudo ao rato grande e cinzento dos esgotos. (Laura pusera-lhe o nome de “Rato Desgosto”)

Certo dia, quando estava já muito magra por não comer nada e entregar tudo ao rato, Laura soube que, se não falasse, algo de grave lhe podia acontecer. Então disse à mãe:

— Mamãe, tenho uma história para te contar. É a história do rato Desgosto.

Contou-lhe toda a história. A mãe ficou horrorizada e chorou todas as lágrimas que Laura tinha contido desde que decidira pôr a carapaça e fechar-se. Fez muito bem às duas.

Naquela noite, quando abriu a porta do armário, Laura viu que o rato tinha desaparecido e só lá tinha deixado as peúgas, aquelas que Laura tinha lavado. Eram tão pequeninas, que Laura franziu o sobrolho.

— Não pode ser! O rato Desgosto tinha uns pés assim tão pequeninos… afinal era minúsculo!

Ela que pensava que ele era tão grande e que nada podia contra ele! Afinal, bastou falar à mãe para ele desaparecer do armário, sem pedir mais nada. Era mesmo um rato nojento, mas que agora já não lhe fazia medo nenhum.

— Vês, Laura — disse-lhe a mãe. — Quando alguém te pedir alguma coisa, tens de te perguntar a ti própria, bem no fundo, se queres. Se alguma coisa em ti te diz que estás a ser forçada, ou que magoam o teu corpo, não deves obedecer, pelo menos antes de falares a alguém sobre isso. Mesmo que seja um Marciano, um rato dos esgotos, um crocodilo… mesmo que seja uma pessoa importante.

E ainda lhe disse:

— Se amanhã vires alguma coisa no armário, por favor, diz a um adulto. A mim, ao pai, à madrinha, à professora… a quem quer que seja! E, se alguém te ameaçar na rua, pede socorro a um adulto, entra numa loja ou noutro sítio qualquer. Nenhuma criança deve submeter-se a um rato do esgoto. Percebeste, minha querida?

— Sim — prometeu Laura, tranqüilizada com esta promessa.

Nessa noite, Laura recuperou o bolo de arroz, os bombons, o seu ursinho, as batatas fritas. E o seu bom aspecto. Infelizmente durante algum tempo, ainda continuou a ter os antigos pesadelos negros, cheios de ratos dos esgotos, de ratinhos e de ameaças. Porque o ratão Desgosto tinha-lhe roubado alguns dos seus sonhos cor-de-rosa. Precisava esperar algum tempo para recuperá-los.

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Quem Matou Taís?


Hoje tive um insight, sei lá porque, nem estava pensando em novela, mas de repente me veio a idéia: Quem matou Taís foi a Bebel!!
.
Depois do pensamento comecei a bolar teorias que justificassem a idéia. Uma delas é o sucesso da personagem. Desde o começo da trama os autores falam que não querem os vilões se dando bem, quem apronta sempre dança. Mas, a Bebel - com toda sua falta de ética - caiu no gosto do povo. E, cá pra nós, quer sucesso maior para a personagem (e para a atriz) do que ser a assassina de Taís?
.
Além disso, Gilberto Braga adiantou que mais supreendente do que o nome do assassino é a razão pela qual o crime foi cometido. Não tenho criatividade, nem tempo, muito menos paciência para inventar uma teoria maluca. Então acho que o ciúme de Olavo levou Bebel a matar Taís. Ela descobriu que o amante tinha dado uns "pegas" na meliante Taís e tinha gostado aí não teve dúvidas: foi tirar satisfações, acabaram brigando e ela matou a vilã. Pronto, simples assim!
.
Essa semana também vazou a cena de Bebel sendo presa. Por que será? Mistério que hoje a noite será desvendado. E eu não acredito que escrevi esse post!!! Quando for ver a assassina será uma personagem bem diferente, tipo Tati com ciúmes de Ivan!!!
.
Quanta abobrinha! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Boas Notícias

Não poderia estar mais feliz. Sinto que agora as coisas estão fluindo. Ontem tive uma notícia maravilhosa: minha proposta de financiamento para compra do apartamento foi aprovada pela Caixa Econômica Federal. Agora sim, já posso casar!!!!

Apesar de ter saído da TV Clube, surgiu uma proposta da TV Globo para ir trabalhar em Petrolina. Confesso que estou reunindo coragem para ligar e saber detalhes – mas antes de encerrar e publicar este texto já terei ligado para saber realmente do que se trata (suspense). Como minha maré está boa, hoje a produção do Bom Dia Pernambuco desmarcou entrevistado para levar ao ar minha pauta e como agora aprendi a importância do marketing, liguei para o meu chefe, que está em Brasília, e contei. Ele ficou pianinho, pianinho...

Agora também me sobra tempo para cuidar de minha saúde e rever amigos queridos. Assim, já fui a minha endocrinologista, já fiz os exames que ela me passou e já marquei a volta. Vou cuidar direitinho das minhas taxas, especialmente da minha tireóide e vou emagrecer tudo que quero. E para completar, hoje a tarde vai ter um happy hour de arrasar na casa de minha amiga Iana. A fofoca (do bem) vai rolar solta. E sabe do que mais? É tão boa essa sensação de liberdade.
Beijos e fiquem com Deus.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Uma Paixão



Da união de duas cores mágicas
Nasceu a força e a raça
Vermelho de luta
Branco de paz
Quem olha
Não esquece jamais
Da união de sete letras mágicas
N-A-U-T-I-C-O
Nasceu um time que encanta
Que manda e desmanda
E faz o nosso Carnaval
NÁUTICO teu caminho é de luz
Tua força, tua raça
Fascina e seduz
No meu coração
Brotou o esplendor
De te adorar com emoção
No meu coração
Brotou o esplendor
De te adorar com muito amor!!!

domingo, 23 de setembro de 2007

Eu tenho um sonho...

Sabem quando Martin Luter King disse a famosa frase "eu tenho um sonho"? Pois é, vou plagiá-lo. Eu tenho um sonho: viver em paz. Eu pretendia chegar em casa agora a noite e escrever sobre a vitória do Náutico sobre o Sport, contar que fui para o estádio, mas não vi o jogo. Mas, não é isso que se passa pelo meu coração.

Eu tenho um sonho de viver em paz, de não me sentir angustiada, preocupada, com o coração apertado na mão, com um nó na garganta e uma vontade louca de chorar, gritar. Sonho em andar pelas ruas sem me preocupar com quem se aproxima, em não ficar louca enquanto espero a porcaria de um telefone tocar. Sonho com o dia em que me livrarei dessas sensações horripilantes e que me acompanham, confesso, há algum tempo.

Então... Hoje meu noivo em deixou em casa após o jogo, nem quis descer do carro dizendo que já "eram sete horas" e ficou de ligar quando chegasse em casa. Pois bem, são nove da noite e não tenho notícias nenhuma dele. O celular, desligado; o de casa, ninguém atende. Milhares de torpedos e a mensagem no meu celular "pendente". Pra completar, toca o telefone da minha mãe e eu fui atender. Chamada não identifica e a cobrar. Nem disse alô, mas ouvi do outro lado uma gritaria desesperada. Perfeito: tudo o que precisava nesse momento era do golpe do sequestro!

E continuo sonhado... Pelo menos com o dia em que meu noivo tenha um pouco mais de consideração por mim, porque depois de pedir tanto, hoje, só me resta sonhar...

É PRIMAVERA



Vem Primavera.
O jogo dos sexos renova-se
Os amantes encontram seus pares.
Já a mão subtil e conquistadora do amado
Faz arrepiar o peito da rapariga.
Ela tenta-o com o olhar furtivo.
Há uma nova luz
A paisagem revela-se aos amantes na Primavera.
A grande altura avistam-se os primeiros
Bandos de pássaros.
O ar já aqueceu.
Os dias são mais longos e os
Prados iluminam-se até tarde.
Desmedida é a exuberância de árvores e ervas
Na Primavera.
Perpetuamente fecundo
É o bosque, são os prados, os campos.
E a terra dá à luz o novo
Sem cuidado.
(Poema de Bertolt Brecht)

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Satisfação

Estou tãããããoooo feliz hoje!!! É que você não ouve todos os dias de uma (pessoa) poderosa global que é "uma profissional renomada no mercado"!!! É, isso me fez muito feliz e a resposta para minhas perguntas: "sim, vale a pena ser ética, SEMPRE!"

DEUS É MUITOOOOOOO BOM, sabiam disso??? :d

Meus lindos, que Ele os abençoe, sempre..

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Sentimentos misturados

Segunda-feira diferente para mim. Não sei explicar bem o que sinto, misto de alívio e vazio. Difícil não ter mais o horário corrido e ter uma tarde inteira pela frente para... Fazer nada. Ou melhor, fazer o que quiser. Queria ser um pouco mais relaxada, como era aos 18 anos e ter a certeza de que tudo dará certo. Eu tenho essa certeza, porque quando a gente quer muito uma coisa não tem como dar errado, mas tenho receio do tempo que isso levará para se concretizar.

E de repente me vem uma saudade louca da adolescência, do tempo em que preocupação mesmo era com a prova de matemática. Saudades da aulas de história, da minha incrível capacidade de viajar no tempo (seja para o futuro ou para o passado), das intermináveis aulas de português e da Irmã louca que insistia que o "adjetivo é o cachorrinho do substantivo"

Os recreios eram regados a conversas animadas e muita paquera - uma coisa tão infantil, tão inocente que hoje, olhando pra trás, chega dá um aperto no coração. Tempos bons, só tinha amigos. Até os professores faziam parte dos melhores amigos.

Já depois de adulta lembro bem de ter encontrado com três deles, por sinal, meus professores preferidos. Já estava formada e participei da cobertura do vestibular para umas das rádios locais e entrevistei meu antigo professor de geografia. Fiquei frustradissíma porque ele não lembrou de mim e, mesmo depois que me identifiquei, ele não fez grandes festas.

Também encontrei o polonês, professor de história, na praça de alimentação de um shopping. Sei que ele também me viu, mas como não esboçou reação, morguei em cumprimentá-lo. Já o professor de matemática encontrei no próprio colégio. Fui buscar minha sobrinha e resolvi passear por entre aqueles corredores e, para minha surpresa, tio Fred estava dando aula. Quando ele me viu pela janelinha da porta, parou na hora, veio ao meu encontro e me deu um abraço que me tirou do chão (literalmente). Nunca vou esquecer o sorisso de alegria que ele abriu quando me viu, foi tão espontâneo que não tinha como ser de mentira. Carrego comigo essa sensação gostosa até hoje. Foi tão bom que me arrependi de nunca ter gostado de matemática.

Mas, enfim, o tempo passa, a gente cresce e nem sempre encontra pessoas tão amigas quanto as de antigamente. Nossos problemas são bem maiores que as equações de matemática, nossas decepções são bem mais doloridas que o esquecimento de professores que não te veêm há anos. Mas, ainda assim a vida segue e tenho certeza, segue para rumos bem melhores e mais felizes. Ainda que não volte nunca mais para 1989, ano em que ouvia sem parar essa música... E que mesmo tantos anos depois continua me soando perfeita.

Beijo a todos e fiquem com Deus...

MENINOS E MENINAS
Legião Urbana


Quero me encontrar, mas não sei onde estou
Vem comigo procurar algum lugar mais calmo
Longe dessa confusão e dessa gente que não se respeita
Tenho quase certeza que eu não sou daqui
Acho que gosto de São Paulo
Gosto de São João
Gosto de São Francisco e de São Sebastião
E eu gosto de meninos e meninas
Vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre
Vai ficando complicado e ao mesmo tempo diferente
Estou cansado de bater e ninguém abrir
Você me deixou sentindo tanto frio
Não sei mais o que dizer
Te fiz comida, velei teu sono
Fui teu amigo, te levei comigo
E me diz: pra mim o que é que ficou?
Me deixa ver como viver é bom
Não é a vida como está, e sim as coisas como são
Você não quis tentar me ajudar
Então, a culpa é de quem?
A culpa é de quem?
Eu canto em português errado
Acho que o imperfeito não participa do passado
Troco as pessoas
Troco os pronomes
Preciso de oxigênio, preciso ter amigos
Preciso ter dinheiro, preciso de carinho
Acho que te amava, agora acho que te odeio
São tudo pequenas coisas e tudo deve passar
Acho que gosto de São Paulo
E gosto de São João
Gosto de São Francisco e de São Sebastião
E eu gosto de meninos e meninas

sábado, 15 de setembro de 2007

Revolução

Há dias vi uma reportagem que queria ter postado, mas não tive tempo. Muito surreal a estória de um novo metódo para eliminar gordurinhas localizadas. A foto que ilustrava a matéria era de uma moça segurando um desentupidor de pia na altura da barriga. Isso mesmo, desentupidor de pia!!!! Minha nossa senhora das gorduras que não me pertecem! Uma mega maneira de eliminar pneuzinhos sem drenagem, eletrochoques, sofrimentos e ser gastar rios de reais??

Perigo é aparecer toda roxa sem uma explicação digna para o fato. Mas, tá valendo, não tá não???? Vou correndo no super mais próximo.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Em Paz

Sensação de paz e de alívio estou sentindo. Muito bom saber que não mais precisarei sequer olhar para a cara de pessoas sem caráter, que não precisarei mais fazer concessões em nome de mixarias, que não vou mais precisar conviver com falsidade, mentiras, estrelismos, falta de ética, de coragem... Enfim, um dia uma sábia "senhora" disse que ninguém tem grilhões nas pernas e não é que ela estava certa!!! AGRADECIDA, MUITO AGRADECIDA!

E assim a vida segue em frente, bem em frente, bem A frente...

Fiquem todos com Deus



A PAZ

A paz invadiu o meu coração
De repente, me encheu de paz
Como se o vento de um tufão
Arrancasse meus pés do chão
Onde eu já não me enterro mais

A paz fez um mar da revolução
Invadir meu destino; A paz
Como aquela grande explosão
Uma bomba sobre o Japão
Fez nascer o Japão da paz...

Eu vimVim parar na beira do cais
Onde a estrada chegou ao fim
Onde o fim da tarde é lilás
Onde o mar arrebenta em mim
O lamento de tantos "ais"

terça-feira, 11 de setembro de 2007

desabafo

Vocês já perceberam como é interessante observar as pessoas? Eu, por natureza, sou distraída, especialmente quando resolvo não querer saber do que se passa. Sou assim em casa, tanto que minha mãe diz que não estou nem aí pra ninguém, sou assim no trabalho, tanto que muita gente diz que sou ingênua. De qualquer jeito isso tem uma vantagem: ninguém me considera fofoqueira, o que já é lucro, além de orgulho.

Muitas vezes me pego questionando se essa minha postura é a melhor, especialmente na área profissional. Tanta coisa passa por mim e, claro, os espertos já perceberam. Perdi a conta das vezes em que tive colapsos de raiva porque fui usada. Incrível, mas a culpada pelos erros sempre, invariavelmente, sou eu. Mais prático, não é?, vamos em cima da que não reclama, da que não faz escândalos, da que entende todo mundo. E mais hilário ainda é que tenho fama de chata e durona. É uma piada mesmo.

Nesses dias resolvi ser mais observadora e, sinceramente, o que vi não me agradou. Se eu já sentia falsidade espalhada pelo ar, foi duro perceber que pessoas queridas também estão na dança. Quis me decepcionar, na verdade estou decepcionada, mas um bom amigo me disse que tinha muitos problemas para resolver com o casamento, com minha casa e que não deveria me desgastar e me preocupar com as besteiras que os outros fazem.

Resolvi que ele tem razão, tenho que me voltar para mim e sair da inércia para alcançar as coisas que eu realmente desejo. E deixemos os falsos, anti-éticos, gananciosos e sem vergonhas pra lá. Que venham as pessoas boas, transparentes, éticas, bem humoradas, felizes e amigas! Assim como você que me ler agora. Um beijo

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Bom dia!

Então chegou a segunda-feira! Depois de um feriadão uma 2ª mais cruel que as outras. Tudo bem que trabalhei no feriado e isso poderia descaracterizar o feriado, mas eu dei mais risadas na tv do que se estivesse em casa. Alías, acho que as pessoas deveriam ir trabalhar todos os dias com o mesmo espírito que vão nos feriados. A começar pela roupa. Por que terno e gravata? Por que sapatos sociais e saltos? Só de olhar uma pessoa com jeans e camiseta já me sinto mais leve.

Taí, acho que uma boa dose do estresse diário vem da mensagem que passamos pra nós mesmos. Se saio de casa toda emperequetada acreditando que será um dia difícil, alguém duvida que assim vai ser? Estou aprendendo que nossos desejos são uma ordem.

Posso até parecer uma boba, mas há uma hora estava em um puta engarrafamento, já no começo de uma irritação, pensando no que ainda enfrentaria até chegar no trabalho. Parei, fechei os olhos e imaginei pista livre a minha frente... O que se seguiu quase que eu mesma não acreditava! Abri os olhos e o carro da frente já havia saído, daí em diante... Pista livre! Em 15 minutos já estava na Esmape. No strees!

Sinal que a semana começou bem e, tenho certeza, vai terminar melhor ainda.

sábado, 8 de setembro de 2007

Simples assim

Sábado proveitoso, apesar de "abandonada" pelo noivo e pelos pais, que são pessoas normais e que podem aproveitar o feriado. Voltando ao sábado... Bati muita perna com Alê, minha amiga e colega de trabalho, com direito ao centrão da cidade, almoço no shopping, ida ao veterinário com Nina - a filha dela - e, claro, muita fofoca. Foi muito bom passar essas horas com uma amiga tão especial.

À tarde pensei que iria ficar em casa, mas aí veio o convite irresistível de minha irmã e sobrinhas para um passeio no Paço Alfângeda e Livraria Cultura. Dei tanta risada com a maluquice daquelas três que fiquei passando mal. Como o impulso consumista não me deixa nem com reza braba acabei comprando mais um CD de Bon Jovi, foi impossível restistir. Como uma saída com as três não pode acabar diferente fomos jantar lá no Chinês da 48, mais risadas e a volta pra casa com a sensação boa de que não estou sozinha no mundo.

É bom ser feliz!!!

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Orgulhosa

Faltou eu dizer que estou muito feliz, tranquilia e aliviada com as escolhas que fiz na minha vida. Parabéns pra mim
:)))

De bem com a minha vida

Trabalhar no feriado até que é divertido, o trabalho parece que flui com mais... Liberdade, digamos assim. E hoje não foi diferente. Apesar do estresse de colocar um jornal no ar com equipe reduzida, dei muitas risadas e elas me fizeram um bem... Rir deixa uma sensação maravilhosa de recomeço, de leveza. Há tempos não me sentia assim e devo agradecer muito a um amigo / colega de trabalho que hoje me fez companhia durante o almoço no shopping, durante o caminho para o trabalho, durante o trabalho, durante o jantar no shopping e durante o caminho de volta pra casa. Joãozinho é uma figura inteligente, alto-astral e muito divertido. Graças a ele hoje eu vou escapar de ter que tomar Dramim... :)

Agradecimento

Hoje eu amanheci agradecida a Deus e ao Universo por serem tão generosos comigo. Sim, eu podia estar chateada, triste até. Podia dizer que estou decepcionadíssima, mas não estou. Não estou porque eu já esperada pela reação da pessoa em questão, não foi supresa, apesar de que quis acreditar que poderia ser diferente.

Aprendi esses dias uma coisa meio óbvia, que sempre falava, mas nunca praticava. A gente não pode forçar uma amizada. Ou ela nasce e ganha força de forma natural ou não adianta você se fantasiar de melhor amiga que isso não vai dar certo.

Sendo assim, agradeço por Deus me manter longe de pessoas que não merecem e por ter me dado nessa vida amigos (as) tão especiais. São pessoas tãooooo legais, pena que algumas estejam longe, mas sempre perto do coração.

Hoje, feriado de 07 de setembro, preferi ficar em casa. Todos viajaram e eu trabalhar a tarde e depois não sei... Talvez passe na Livraria Cultura, talvez vá ao cinema ou simplesmente volte pra casa para ficar na melhor companhia que pode existir pra mim: eu mesma

Tranquilidade está dentro da cabeça... E a minha está super tranquila, consciente do dever cumprido!

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Cansada

Ahh gente, eu tô tão cansada!!!!
Cansada de gente sem carater
Cansada de quem não se assume
De quem não assume seus erros
De quem tenta transferir os seus erros para outras pessoas
Cansada de pensar
Cansada de querer
Cansada de tentar
Cansada de correr
Cansada, cansada e cansada!

domingo, 26 de agosto de 2007

Sonho meu....

Quando eu crescer quero ser igual, igualzinha a Patrícia Poeta... :)

sábado, 25 de agosto de 2007

Coisas de computador

Que raiva!! Ontem escrevi um texto super-enorme e na hora de publicá-lo o blog deu pau e... plunquete, sumiu tudo!!!

Eu tinha falado sobre o gesso no pé que há quase uma semana me deixou de molho e o quanto que gostei da pausa para pensar, rever, antever e concluir. Falei o quanto foi maravilhoso ter dado um passeio com Meu Doni em plena tarde de quinta-feira. Falei de todos os preparativos para o casamento, o tanto que pude pesquisar, contei dos blogs que pude atualizar a leitura, dos novos que conheci... Abençoada entorse!

Como o texto era bem maior, obviamente que falei sobre outras coisas, mas que agora eu não vou escrever mais não. É isso! :P

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Boas Notícias

Os mais atentos devem ter percebido que mudei o nome do blog. Acho que esse novo nome diz mais sobre mim, sobre o meu momento. Seja no trabalho, na vida pessoal o que quero é isso: Boas notícias. Quero falar sobre alegria, prosperidade, amor, solidariedade, respeito, compreensão, bom humor.

E pra começar eu tenho uma ótima notícia: a mega sena acumulou. Pode chegar a 40 milhões de reais!!! E eu aceito essa bolada sem dor na consciência! :)
Vamos lá gente, apostem, o prêmio está disponível para todos nós!

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Pumpf

Eu sei que eu TENHO QUE VIBRAR EM OUTRA SINTONIA, mas no momento só consigo sentir raiva! Raiva, raiva, raiva, raiva, raiva.... daquelas que chega a dar uns arrepios. Raiva, muita raiva, nem posso lembrar que..... ARRRRRRRRRRGGGGGGGGGGGGGG!!!!!!!!!!!

Ser ou ser??? Questão ética

Final de mais um dia de trabalho e então eu me pergunto: Quando o chefe aparece é preciso a gente se exibir, se amostrar (como diria o povo pernambucano??). Outra coisa... Ah, deixa pra lá, são apenas questionamentos de uma pessoa às vésperas de ganhar na mega-sena! :)

domingo, 29 de julho de 2007

!#$&$*)($)(@¨@$+

Eu juro, juro que cheguei em casa super-feliz, mas não consigo controlar a irritação quando há vinte minutos um telefone só dá desligado e o outro só ocupado! "¨$#¨@%R&¨%#$*&@¨$*(#&@*(#&$*@(&$*(&*($&(*)($*()&(*@¨*&!%!@#@$¨%&*(()))___

sexta-feira, 27 de julho de 2007

quarta-feira, 25 de julho de 2007

CHEGA!

Na última terça-feira o país assistiu atônito mais um desastre de avião. Duzentas pessoas mortas. Especulações sobre as condições da pista, e nos tornamos - todos - especialistas em grooving. Depois descobriu-se que o reverso direito da aeronave não funcionava, estava "pinado". O piloto tentou "arremeter"? O freio não funcionou? Houve erro humano?

De todas essas hipóteses a de erro humano me parece a mais rídicula, a mais idiota. Li em jornais, revistas e sites, vi na tv a irmã do piloto Kleyber Lima, defendendo, quase que implorando para que não coloquem a culpa no irmão morto. E me pergunto: Meu Deus, em que país vivemos?

As causas dessa tragédia ainda estão sendo apuradas, caixas-preta analisadas, mas uma coisa eu já tenho certeza. Houve sim erro humano e não foi da tripulação do Airbus A320 que fazia o vôo 3054 da TAM. O erro, a incompetência, a canalhice, tudo é culpa desse governo pavoroso que trata a nação brasileira como idiota.

Desde o acidente com o avião da Gol, em setembro, descobrimos que os céus do Brasil são uma zona e, ninguém, NINGUÉM fez absolutamente nada! Como jornalista me questiono se a imprensa não poderia ter feito mais, não poderia ter pressionado mais, ter exigido mais. Enquanto cidadã me pergunto se não poderia ter feito mais, se poderia ter pressionado mais, se poderia ter exigido mais. Que palhaçada virou esse país! E ainda temos que aguentar Martha Suplicy de ministra, Guido "prosperidade" Mantega de ministro, Marcos Aurélio "toc toc" de assessor presidencial. Peraí: temos?

Que conversa é essa que sou obrigada a aceitar pessoas tão indignas, falando coisas tão absurdas, tão desrespeitosas, como "autoridades"? Essas pessoas não têm legitimidade para me representar nem em quermese de igreja. Nós, brasileiros, precisamos reagir a esse circo dos horrores que se tornou esse país!

Todo mundo sabia que mais cedo ou mais tarde uma outra catástrofe iria acontecer na aviação, o tal clichê tão usado da"tragédia anunciada". E a gente acha de fazer graça com a infeliz frase da não menos infeliz ministra. Vamos nos levar a sério! Essa mulher não pode ficar mais nenhum minuto no ministério do turismo. O Sr. Marcos Aurélio também não. Saiam!!! Saiam por respeito aos mortos, saiam por respeito às famílias, saiam por respeito a Nação. Saiam por respeito a mim! Não dá mais.

Eu realmente estou revoltada com o rumo que as coisas têm tomado e me desespera ver, ouvir as pessoas me falarem que eu não posso ficar assim, pois não havia sequer um conhecido meu naquele vôo. Como se a tragédia fosse particular das pessoas que tinham parentes ou amigos no avião. A tragédia é minha também sim! Quem não morreu naquele avião é sim um sobrevivente. Somos todos sobreviventes. E precisamos cuidar para que não sejamos os próximos, para que não sejamos apenas mais um nome numa lista de desconhecidos, para que não sejamos apenas mais um nas estatísticas. Precisamos cuidar desse país como um todo, não apenas por interesses (e sentimentos) individuais.

A tragédia com o avião da TAM mais uma vez expõe nossas feriadas, mais uma vez escancara nossa incompetência. Chega minha gente de fazer carnaval com tudo, chega de dar risada com tudo, chega dessa simpatia irritante e paralisante, chega dessa cortesia infeliz. Já passou da hora de mudarmos esse país, já passou o limite da letargia. Tá na hora de soltar o grito. O grito da dor, da indignação, da não aceitação, mas também o grito da justiça, da liberdade e do respeito ao cidadão.

E isso vale pra tudo, desde para cobrar o fechamento de Congonhas, a regularização do trafego áereo, a responsabilidade pelos acidentes com os aviões da TAM e da GOL, até para exigir a imediata saída do Sr. Renam Calheiros da presidência do senado federal.

CHEGA!


P.S - E ainda anunciam que se o brasileiro quer mais segurança terá que pagar por isso. Sendo assim, haverá aumento no valor das passagens aeras. Então quer dizer que baratearam as passagens, mas excluíram a segurança? E, quem foi mesmo que concordou com essa barbaridade. Porque eu mesmo não assinei esse contrato...

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Caldeirão

Passei em frente a Igreja do Espinheiro no momento em que acontecia a missa de sétimo dia do falecimento do empresário Gilmar Tenório, uma das vítimas do acidente TAM. Muita, muita gente e digo: as coisas são mais próximas do que a gente pensa.

Por quê, por que Bernardinho cortou Ricardinho da Seleção de Volei? Eu não entendi, ninguém entendeu e isso não vai acabar bem...

Cheguei do trabalho e estou morrendo de preguiça de tomar um banho. Coragem Laura, coragem...

.

Tipo assim: hoje eu não tou legal. Cansada de mim mesma, dos meus medos, das minhas neuroses, dessa energia que me consome. Procrastinação, esse é meu nome. Em tudo na minha vida, tudo. Isso não é bom e a Esmape, no mínimo, não me ajuda. Tô triste comigo e queria forças para começar as mudanças...
E agora, licença que vou chorar.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

O diabo veste Prada

Sexta-feira de noite, o noivo saiu com os amigos, os pais também. Para mim sobrou um computador muito lento e pouca paciência. No pay-per-view O Diabo Veste Prada. Não resisti e comprei. Dá licença que o filme tá começando...

quarta-feira, 18 de julho de 2007

De luto

HOJE EU AMANHECI COM UMA SENSAÇÃO MUITO ESTRANHA. SEI A CAUSA, OU MELHOR, AS CAUSAS. E UMA DELAS É O ACIDENTE COM O AVIÃO DA TAM. QUEM ME CONHECE SABE O QUANTO ISSO ME TOCA, NÃO SEI PORQUE, MAS ME EMOCIONA PROFUNDAMENTE. NESTE MESMO BLOG ESCREVI ALGUMAS COISAS SOBRE O DESASTRE DA GOL.

FUI DORMIR DE MADRUGADA ACOMPANHANDO O DESENROLAR DO SOCORRO, A ANGUSTIA DAS FAMÍLIAS E INEVITAVELMENTE ME PERGUNTO POR QUE AS PESSOAS ACREDITAM QUE TRAGÉDIAS SÓ PODEM ACONTECER COM OS OUTROS? SOMOS TÃO INSENSÍVEIS E TAMBÉM TÃO FRAGEIS. NUM SIMPLES PISCAR DE OLHOS PODEMOS NOS RESUMIR A UM “CORPO”. ENTÃO, DE QUE VALE O ORGULHO, A PREPOTÊNCIA, A ARROGÂNCIA?? SOMOS MUITO, MUITO PEQUENOS DIANTE DESSA VIDA.

POR OUTRO LADO, ME IRRITA PROFUNDAMENTE A CARA DE PAU DAS AUTORIDADES BRASILEIRAS. É MUITA INCOPETÊNCIA E CINISMOS JUNTOS. E NÓS, SOCIEDADES, POR QUE ACEITAMOS TUDO ISSO QUEITOS, PASSIVOS? E ENTENDA-SE POR “ISSO TUDO” A CORRUPÇÃO, AS CRIANÇAS ABANDONADAS NAS RUAS, O TRÁFICO DE DROGAS, OS CRIMES, A IMPUNIDADE, O DESCASO... POR QUÊ? POR QUE ACEITAMOS QUIETOS TODAS ESSAS BARBARIDADES?

OLHA... DESDE ONTEM A MÚSICA DE LENINE NÃO ME SAI DA CABEÇA: “A VIDA É TÃO RARA, TÃO RARA...”

terça-feira, 17 de julho de 2007

De novo

Eu não acredito que aconteceu outro acidente de avião... Não acredito!!!

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Ida ao dentista

Foto: Agência Estado


QUE TAL UMA IDA BÁSICA AO DENTISTA???

quinta-feira, 28 de junho de 2007


Adoro cinema, é uma das minhas diversões. Mas, eu adoro de uma forma simples, desencanada, sem esses estresses de prestar atenção em roteiros, edições, montagens e todos esses detalhes que os cinéfilos de verdade fazem. Pra mim o legal é curtir o filme e se deixar absorver pela estória.


Numa TPM nada melhor que uns bem água com açúcar. Tenho uma lista dos prediletos.


1 – Bridge Jones (Ela é minha cara, quase um clone)
2 – Legalmente Loira (Alguém já pensou na mensagem desse filme? Nada de pré-conceitos)
3 – Miss Simpatia (Queria ser a Sandra Bullock, liiiiindaaaa)
4 – Um Lugar Chamado Nothing Hill (Que trilha sonora é aquela??)
5 – Sob o Sol da Toscana (Aí é tãooooooo maravilhoso o lugar, eu querooooo)
6 – Dirty Dancing (Esse eu tenho até o dvd)


E tem uma série de outros, não daria pra simplesmente sair listando. Engraçado é que, dependendo do astral, eu me acabo de chorar, pra logo em seguida começar a dar risada do ridículo proporcionado por mim mesma. E é exatamente essa falta de senso crítico que me faz amar esses filmes.


Óbvio que também curto umas coisas mais “intelectuais”, como a trilogia das cores. A Liberdade é azul é tão comovente. Uma cena me impressiona. É quando a personagem Julie, vivida por Juliette Binoche, anda machucando a mão rente ao muro de cimento da casa onde morou com o marido e a filha, mortos num acidente de carro. Você simplesmente consegue sentir o sofrimento da mulher! Muito punk...


Sempre que me sinto só, triste, angustiada recorro ao cinema pra aliviar os sentimentos. Não que seja uma fuga, apenas uma ajuda. Claro também que não assisto essas leseiras apenas quando estou chateada. Agora mesmo, escrevo enquanto assisto as aventuras de Ellen Words em Harvard. E eu não estou triste. Agora, me dêem licença, mas vou ver pela milionésima vez Legalmente Loira. Iuuuuupiiiiiiii!

Coleguinhas e trabalhinhos

Trabalhar em televisão é um estresse, mas também muito divertido. Já perdi as contas de quantas vezes a edição pára para darmos risadas. É cada coisa que nos chega em mãos, cada figura, cada frase... E eu termino quase sempre com a manjada frase: "a gente ganha pouco, pouquissímo, mas se diverte".
.
Uma semana antes do São João estava de plantão no sábado e editei a matéria sobre a abertura dos festejos no *Sítio da Trindade. E lá estava um casal, digamos que de uma idade mais avançada, na maior esfregação (porque nunca que aquilo foi fórro). E a bailarina ainda dizia a repórter "dilícia" (sic) e seguiam na performace.
.
Depois vem o organizador: "É tudo muito bonzinho, as criancinhas podem brincar no parquinho, tem a fazendinha, com porquinho, vaquinha... A pessoa pode tomar sua cervejinha, wisquinho, comendo uma canjiquinha, com milhinho..." E aí vem as brincadeiras e comentários impagáveis de Joãozinho e Adonis...
.
Foi sim uma agradável manhã de sábado. Pessoas de caráter e profissionais competentes fazem qualquer trabalho ser gratificante, apesar de todas as adversidades. E é por isso que eu vou sentir falta de Adonis nas ilhas de edição e é por isso que deixo aqui o registro de minha tristeza com a saída dele da tv. Por outro lado, sei que esse não se perde, vai brilhar em outras ediçõesinhas por aí...

* Sítio da Trindade é um espaço verde mantido pela Prefeitura do Recife e é um dos locais mais tradicionais de comemoração do São João na Capital de Pernambuco.

quarta-feira, 27 de junho de 2007

Noivas de Recife

Mulher é uma coisa estranha e engraçada, né?? Eu mesma descobrir que não sei absolutamente nada sobre mim! E, sabe que isso foi até bom??? Estava me sentindo uma extra-terrestre hororrosa, a última das fêmeas, se é que vocês me entendem... E também se não entendem, tanto faz!!

Agora nem estou mais. Tudo, tudo graças a um grupo virtual de mulheres com quem troco e-mails. Não conheço nenhuma pessoalmente e, em princípio, a idéia era falar sobre casamento. Mas, sabe como são as meninas, né? E muito, mas muito despropositalmente mesmo surgiu o assunto e plim!!! Vi que não estou só, que não sou anormal, muito menos extraterrestre horrível!!

Que alívio, que luz essas meninas me deram. Estava me sentido tão mal, mal como nunca me senti antes, culpada e com a auto-estima láaaaa embaixo. Agora não, pelo menos vi a luz no fim do túnel.

Disso tudo ficou pra mim duas lições e, ainda que óbvias, muito importantes:

1 - É preciso sempre conversar, expor sentimentos, problemas, dúvidas e mandar a vergonha pra putaquepariu.

2 - Amigas, são sempre amigas, nunca-jamais-emtempoalgum se afaste delas, seja lá porque motivo for. Mulher sempre entende mulher e isso é MA-RA_VI-LHO-SO!!!! Preciso ligar urgente para as minhas...

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Chega de saudade

Vai minha tristeza
E diz à ela que sem ela não pode ser.
Diz-lhe numa prece que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer.
Chega de saudade
A realidade é que sem ela não há paz
Não há beleza é só tristeza
E a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim, não sai...
Mas se ela voltar,
Se ela voltar,
Que coisa linda... Que coisa louca...
Pois há menos peixinhos
A nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca.
Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços:
Apertado assim,
Colado assim,
Calado assim;
Abraços e beijinhos
E carinhos sem ter fim
Que é para acabar com esse Negócio de viver longe de mim.
Não quero mais esse negócio
De você viver assim!
Vamos deixar desse negócio
De você viver sem mim!

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Ao amor da minha vida


Ontem, dia dos namorados, eu não tive tempo para escrever, o dia foi corrido. Meu pai fazendo outra cirugia, correria na TV e a noite esperei por meu Doni. A gente tinha combinado de não se dar mais presentos por causa do casamento, mas eu não resistir e dei um agrado a ele. Coisas de mulher que não quer perder o sentido da coisa. Fiquei feliz.


Então hoje, apesar de um início do que promete ser uma grande virose, aqui estou para homenagear meu Doni e dizer que ele será eternamente MEU NAMORADO. Porque eu amo muitoooooooo

sexta-feira, 8 de junho de 2007

Vazio

Puxa... Queria agora estar bem, bem feliz, mas não tô não. Sinto falta do meu Doni. :(

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Escolhas

Dizem que a vida é feita de escolhas, e é mesmo né?

Então... Hoje eu escolho ser feliz
Hoje eu escolho amar
Amar a pessoa que amo (meu Doni)
Hoje eu escolho fazer concessões por esse amor
Hoje eu escolho amar meus amigos, amar as pessoas, amar minha vida.
Hoje eu escolho ter paz, contemplar a lua, o céu, as estrelas (coisas que tanto gosto)
Hoje eu escolho cuidar mais de mim, deixa a angústia, a preguiça e a culpa de lado,
ah, eu escolho sim!!!
Hoje eu escolho a disciplina, a força de vontade, a superação.
Hoje eu escolho (eu preciso escolher) a alegria, o alto-astral, a simpatia.
Hoje eu escolho a coragem para tomar as atitudes e decisões que precisam ser tomadas para que eu possa colocar em prática minhas escolhas.

quarta-feira, 30 de maio de 2007

Voltando ao início


Na última semana comecei a escrever uma dezena de textos e parei, deletei. Todos eram baixíssimo astral e não quero transformar esses sentimentos em palavras. Pra que documentá-los?


Apesar deles ainda estarem comigo – não vou mentir – estou decidida a abandoná-los, jogá-los para fora, escanteá-los mesmo. Então fui ao shopping e comprei quatro maravilhosos sapatos que estavam em promoção. Fiquei tãoooo feliz :))


Afinal, o mundo é mesmo das mulheres que usam peep toe!

terça-feira, 22 de maio de 2007

Tartaruguinhas ameaçadas nascem em Roma

foto: globo.com
Coisa mais linda as tautaruguinhas romanas, além de tudo chiques!

sem comentários

Iniciei esta semana um regime, nem sei se estou firme, sei apenas que preciso ser. Minha vida anda muita sem rumo, muito ao deus dará. Domingo foi ridículo, tentei andar de bicicleta e foi um desastre total. Dei uma volta pelo quarteirão e parei passando mal. As lembranças que tenho da infância são de total felicidade, sensação de liberdade e leveza. Mas, agora foi diferente. A falta de preparo físico e o excesso de peso fizeram-me sentir péssima. Então, tenho que mudar. Tô uma chata.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

É mesmo muito difícil ignorar a estética da moda. Tem que ser magra, ter peitos grandes, bunda empinada, corpo malhado. Pelo menos é assim que a maioria das beldades aparece para nós, mortais. Veja em http://www.youtube.com/watch?v=v7pVLCxqo2s&NR=1 um vídeo que desmistifica a perfeição. Porque a perfeição, além de chata, não existe.

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Ai gente eu preciso mesmo usar minha inteligência, a cabeça, ser racional. Que me importa se muitos membros do judiciário agem errado?? Eu não preciso ser conivente, nem ser parte dessa turma.

Mas, certas coisas do jornalismo eu não concordo meeeesmo!!!! Então... Por que responder por certas coisas das quais não tenho o menor controle???

terça-feira, 15 de maio de 2007

Conclusão...

Eu preciso usar mais da minha inteligência, preciso mesmo.

segunda-feira, 14 de maio de 2007

Vida real

Por que tantas notícias ruins? Não agüento mais chegar na TV e ter que editar matérias de mortes, de assassinatos... Não agüento mesmo, não estou brincando.

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Que seja assim

Há dois dias o clima está pesado, a cabeça cheia de preocupações. Sim, é verdade. A noite foi de sono agitado, sonhos tão reais que eu poderia jurar que foi uma visitinha rápida ao futuro. Tenho dessas coisas, sabe? Dessas que a gente não consegue explicar, mas que por alguma razão, lá no fundo a gente sabe.

Gostava mais quando eu era mais desligada e pensava menos. Às vezes eu era supreendida, mas quanta vezes eu terei escapado de angústias inúteis? É difícil descrever os sentimentos que me tomam, é aquela sensação do novo, de uma nova etapa. Como nos finais de ano, quando queremos renovar as energias, as esperanças, quando sabemos que o inevitável está por acontecer e partir daí a gente já não sabe de nada...


Que o novo dia te traga alegria,
e com alegria, inspiração,
inspirado, tenha sabedoria,
e sabendo o que quer, aja com firmeza,
e agindo, que seja em prol de muitos,
e ajudando, faça a sua parte,
e fazendo a sua parte, receba de volta,
através das leis da física e do Universo,
o que plantou seja colhido,
ação e reação, semeadura e colheita,
na Lei Divina que é perfeita.
Que o novo dia te faça esquecer o mal te fizeram,
que você se concentre no bem,
que você se deleite no amor,
que o amor se faça presente em cada gesto,
que você tenha mais paciência, perseverança e certeza,
de que lá no Mais Alto,
onde o amor não tem fim,
alguém zela por ti.
Assim, de mãos dadas com Deus,
que a paz te acompanhe,
que a Luz guie os seus passos, te proteja e envolva em bênçãos,
que você não se esqueça nunca,
que és a esperança de um mundo melhor,
que tudo começa na sua vida, na sua casa,
nesse dia que começa e que tem tudo para ser.
o melhor dia da sua vida,
tudo depende dos seus olhos, da sua maneira de ver,
da sua fé, esperança e determinação,
que seja então, feita a tua vontade,
e que a sua vontade seja simples assim;
ser feliz em ser você,
em poder realizar,'viver, amar e agradecer',
segredos da plenitude...
Eu acredito em você.

quinta-feira, 10 de maio de 2007


É difícil a gente se manter numa situação sabendo do que já está decidido e não poder fazer nada, apenas servir, como se tivesse um enorme nariz de palhaça.

terça-feira, 8 de maio de 2007

bonito

Aprendemos que quando erramos, podemos consertar; que quando consertamos podemos melhorar; quando melhoramos, podemos inovar; quando inovamos nos superamos, e superar é amar.
(André Abdalla)

quinta-feira, 3 de maio de 2007

Desisti

Eu ia escrever, mas desisti. É isso!

Assunto recorrente



Por que as pessoas se preocupam tanto com a vida das outras?

No final de semana passado fui ao cinema com Meu Doni e assistimos o nacional “Ó paí, ó”. Não gostei nem um pouco do filme, mas a personagem D. Joana me fez pensar sobre a mania de alguns em tomar conta da vida de outros. Acho isso bem estranho, bem sem sentido.

Pior que nunca é pro bem, né? Ninguém quer saber se você está feliz, mas deixe escapar uma lágrima pra ver o que acontece... Chegue cedo ao trabalho, antes mesmo do seu horário todos os dias, mas tenha um problema e se atrase um dia pra ver o que acontece... Tenha o direito a tirar uma hora de intervalo todos os dias, mas não tire nenhum, vá ao banheiro por 5 minutos e veja o que acontece...

Eu não sei a resposta pra minha pergunta, mas uma coisa eu sei: tá cheio de gente pequena por aí!

E você, desconfia da resposta?

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Há treze anos...

O dia 01 de maio de 1994 marcou profundamente minha vida, como a de muitos brasileiros. Nesse dia eu perdi muito mais do que um ídolo, perdi um amigo. Ayrton Senna era uma inspiração. Aprendi, desde criança, a ter uma admiração inabalável por aquele menino franzino que desafiava o mundo e seus obstáculos. Aprendi com ele a importância da persistência, de não desistir dos sonhos. Aprendi que é possível sim ir além de nós mesmos, superar limites e diante deles ter a certeza (e a fé) de que é viável ir mais a frente.

Às vezes, me pego decepcionada comigo mesmo porque muitas das qualidades que eu queria, não só ter admirado, mas ter como minhas, não tenho. Tantas vezes desisto fácil das coisas, prefiro não brigar, não me expor. A garra que eu queria ter, a perseverança.... Ahhh, como eu seria uma pessoa melhor se tivesse conseguido cumprir minha promessa...

Eu queria ter postado ontem, mas não tive tempo. É claro que fiz minha singela homenagem e do meu jeito agi para que ele nunca seja esquecido. É claro que fiz minhas orações, para que Deus sempre o tenha num lugar maravilhoso, tão maravilhoso e feliz quanto ele foi.

Valeu Ayrton!!!

sábado, 28 de abril de 2007

Mistério....

Desde ontem... Quanto mais eu penso, mas certeza eu tenho. Só ainda não entendi porque um circo tão grande foi montado, isso eu realmente ainda não entendi. Mas, também pra que entender (?), se tudo ali é tão maluco e sem sentido. Eu heim...

quarta-feira, 25 de abril de 2007

quinta-feira, 19 de abril de 2007



Essa foi muito boa minha gente...
Nas vizinhanças tem um marinehiro aposentado por maluquice, pequenas coisas, mas que são muito criativas.
Hoje ele passou, encontrou meu pai e perguntou:
- O Sr. viu ontem no canal 7? O campeão mundial de xadrez foi tirar gracinha com o presidente da Russia e pegou 5 anos de prisão
perpétua...

quarta-feira, 18 de abril de 2007

fim de expediente

São 19:46 e estou na TV. Eu só quero ir pra casa, só quero que o dia termine e, de preferência, sem mais prejuízos...

Tratamento

EU ODEIO TER TPM. DEFINITIVAMENTE, EU ODEIO!!!!

Massa: 'Nunca teremos um novo Senna'

Nova esperança de sucesso do Brasil na Fórmula 1, Felipe Massa evita comparações exageradas. Consciente da responsabilidade que carrega na Ferrari, o brasileiro não quer uma supervalorização e destaca seus maiores ídolos.
- A comparação sempre existiu, mas nunca teremos um novo Senna. – afirma.
Ahhhh... Ainda bem que ele sabe disso!
* Publicado em 18/04/2007 no site globo.com

terça-feira, 17 de abril de 2007

O sono hoje me pegou de jeito. A manhã de trabalho foi improdutiva e torturante...
Ahhhh.... Se o transmissor ainda estiver quebrado...

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Quase nada


Fui hoje almoçar no Tacaruna, sozinha não tive alternativa a não ser ouvi conversa alheia. E num trecho ela dizia “melhor ganhar, mil, mil e quinhentos, do que não ganhar nada”. Ahhhh... Então tá!

inspirada

Hoje, sabe, eu poderia passar o dia inteiro escrevendo. Sobre tudo e sobre nada. A vontade, sem obrigação. Tantas coisas para comentar....

Que tal falar sobre a Operação Furacão? Carreira Alvin preso? hahahahaha só pode ser piada. Mas, piada mesmo seria o furacão passar por Pernambuco...

Que tal então falar sobre a decisão da justiça italiana, que condenou Patrick Head pela morte do Senna? Condenou, mas não aplicou pena porque o crime já estava prescrito. Como assim???

Ah sim... Parece que Felipe Massa ganhou a corrida desse fim de semana, né? Sim, mas... E daí?

Então... semana começando, tpm no auge e eu querendo fugir. Fugir prum mundo que não existe.

Mundo das Algas Claras...

Bom dia!

Hoje cedo, a caminho do trabalho, percebi como o corre-corre da vida nos cega para as coisas mais simples. É simples... Como ouvir o barulho do vento, sentir cheiros, ouvir uma risada. Estou falando isso porque, como deu pra perceber pelo último post, o ar-condicionado do meu carro quebrou, o que me obriga a andar com os vidros abertos.
E desse ângulo tudo é tão diferente. A cidade parece diferente. O sol queima forte, sem a proteção da película, mesmo as sete da manhã! Até me assustei com a risada do motorista do ônibus que parou ao meu lado. Até mesmo eu ri...
Tudo me pareceu tão novo, mesmo dentro da mesmice, que não tive coragem de fechar as janelas, mesmo nos sinais fechados. Risco de assaltos??? Que nada, fui surpreendida pelo assobio de um velho conhecido, que não encontrava há anos, e que estava no carro ao lado do meu. Que sorrisão, logo cedo, de alguém que realmente pareceu contente por ter me visto. E eu mais ainda. Quantos amigos, como Bartô, deixei de cumprimentar por estar isolada do mundo, dentro do meu mundinho?
A vida é mesmo muito mais simples do que imaginamos...

quinta-feira, 12 de abril de 2007

Prejuízo

A coisa mais importante do meu carro resolveu me deixar na mão: o ar-condicionado. Penei hoje, no calor do meio dia entre a Esmape-almoço-TV. Um inferno!

Cinza

O que é mesmo que eu ia escrever?


Ando totalmente sem inspiração para escrever qualquer coisa. E também sem paciência. Aliás, hoje eu não tô com paciência pra nada, nem sei como estou de pé aqui nesta assessoria. Minha vontade é de mandar todo mundo que está ao meu redor pro inferno. Quer dizer, todo mundo não, que Robertinho e Taci não me fizeram nada. Mas é que aqui entra um monte de gente, toda hora, falando alto, fazendo e refazendo perguntas estúpidas. Sem contar que estou sentada numa cadeira que é uma verdadeira gangorra, além do que não consigo colocá-la em uma altura decente. Acho que vou quebrar a p*** da cadeira! Sem contar que eu estou com verdadeiro enjôo do meu chefe. O cara é o maior sem-noção que conheço, ninguém ganha dele, nem mesmo o Lula, que ainda leva a vantagem de ser meio inocente. Melhor mudar de assunto, senão a dor de cabeça volta.

Ontem fiz uma grande merda na TV, sem querer usar como desculpa, mas tudo por causa desse meu chefe sem-noção (bom registrar que não me refiro ao chefe da TV, até porque lá é uma chefa gente boa e que entende de jornalismo), o cara simplesmente me tirou do sério e, de quebra, minha concentração também. Então reeditei uma matéria e transformei-a numa bosta. Tudo culpa minha, minha grande e exclusiva culpa! E... Parece piada, mas a matéria tinha sido originalmente editada pela própria chefa! Uma merda nunca vem desacompanhada de uma maior ainda. Mas, isso eu supero.

Só não consigo superar mesmo a idéia de que uma assessoria de imprensa seja confundida com uma agência de publicidade. É ignorância demais. E ainda vem me encher o saco - que não tenho - exatamente na minha semana de TPM. Acho que vou vomitar.



P.S - desculpem a pouca delicadeza do texto, mas hoje não estou pra Cinderela. Aliás, por que a gente precisa usar tantas máscaras?