Follow by Email

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Um Cara legal

Eu já estava acostumada a escutar a voz dele. Era um convívio diário há quase três anos. O tipo de coisa que te faz sentir próximo. Até que um dia ele apareceu no meu trabalho. Nem precisei ser apresentada. Pelo "bom dia" eu reconheci. Não esqueço o olhar tímido e doce. Também meio tímida, expliquei a ele como funcionava o telescript. Mostrei a agenda e indiquei o contato de São Paulo com quem sempre poderia falar para pedir as gerações. E a indefectível frase: " se precisar de ajuda é só chamar".
.
Durante todo esse ano me acostumei a vê-lo pelo menos umas duas vezes por semana. Sempre na ilha de edição, concentrado, calmo. Através do vidro identificava o mesmo olhar doce e tímido do primeiro dia. Invariavelmente pensava que "um dia", assim que tivesse um "tempinho" iria interromper o trabalho dele para um dedinho de prosa. Conversar sobre futebol, tentar relembrar uma época em que o trabalho me dava tanto prazer. Queria contar-lhes estórias vividas com aqueles colegas de trabalho dele que um dia também foram meus. Queria que soubesse que o ouvia a bastante tempo, que eu também ria com o "amigo Mário"...
.
Só que eu por uma série de coisas que nem sei explicar, nunca fiz isso. Nunca bati naquela porta, nunca ultrapassei aquelas paredes de vidro por onde tantas vezes trocamos olhares, nunca tive essa conversa... E agora ficou o vazio. A cadeira vazia, a ilha sem ninguém, o silêncio da palavra não dita e a ausência definitiva daquele moço de olhar tímido e doce...
.
Vai ser estranho não escutar mais sua voz. Sentirei saudades dos encontros por mim planejados das quintas-feiras e que agora jamais acontecerão.
.
A gente não é dono da vida, mas insistimos na idéia boba de que temos todo o tempo do mundo à nossa disposição. Nesses dias ouvi tanta coisa bacana à respeito desse moço e minha torcida é para que os outros tenham tido tempo de terem dito tudo pessoalmente a ele, que não tenham negligenciado como eu fiz. Prefiro acreditar que ele partiu sabendo de tudo que os amigos achavam e sentiam por ele.
.
Prefiro apenas acreditar que ele está lendo nesse momento essas minhas palavras e que, talvez, agora possa entender que aquele meu olhar tímido era também um olhar de admiração. E assim eu possa me desfazer dessa angústia que me invade.
.
Abaixo um poema que era dele.
.
Eu acredito num amor intenso
Tal a chuva que derrama a água prevista para o ano todo
Mas não para de cair depois
Um amor intenso
Sem regras...
Sem explicações
Um amor intenso
Que surge como se sempre tivesse existido
E vai além de uma paixão irrefreável
Vai além do sim, do não e do talvez
Um transbordamento de vida na alma
Acredito num amor intenso
Acredito em algo que estremece no primeiro olhar
E depois faz todo olhar ser como o primeiro
Algo que se espalha pelas madrugadas
Como se o Sol estivesse sempre nascendo ou se pondo
Acredito num amor intenso
Súbito...
Ainda que esperado...
Eterno...
Ainda que se cale...
Divino...
Mesmo que humano...
Eu só acredito no amor intenso!
.
Andreson Falcão

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Constatação

Aff, às vezes eu sou tão provinciana!
...

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Laura tem certeza absoluta que o Destino lhe reserva coisas grandiosas, tão grandes que seus sonhos podem influenciar todo o sonhar.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Delicadeza

Eu queria tatuar bem grande em mim a palavra DELICADEZA. Acho que algumas vezes serveria até pra mim mesma lembrar a importância das pessoas. Ultimamente tenho me debatido muito com isso. Por que as pessoas esquecem que lidam com outras pessoas? Eu não entendo essa guerra, essa coisa de querer aparecer as custas do outro, de não se assumir erros, de se viver falando mal, pregando o mal. E, apesar dos inúmeros conselhos, não, EU NÃO VOU ENTRAR NESSA GUERRA!

E quem quiser fique bem a vontade para falar mal de mim, para não gostar de mim, para tentar me sacanear, pra perder tempo com fofoca. Até mesmo para não confiar em mim. Isso é uma questão de conquista e, como quase tudo na vida, uma recíproca. Eu tenho um trabalho a fazer e uma vida pra cuidar. Tenho tempo pra dos outros não.

Movimento Pró-delicadeza.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Sobrevivente II

O estrago foi maior do que eu pensava. Pobrezinho do meu carrinho está inundado. Duas poças se instalaram aos pés do motorista e do passageiro. E se o carro estiver numa subida, elas se mudam para a parte de trás. E o cheiro?? Um horror!

O motor está com um barulho meio estranho, um trunc, trunc, trunc indecifrável. E, para minha surpresa, as calotas dos pneus da frente desapareceram. Alías, ficou um pedaço de uma delas. A água não perdoou nada!

Depois que a gente passa um perrengue desses é que ver o quanto de inocência se tem. Só mesmo uma pessoa sem noção como eu é que poderia se preocupar mais com o jornal que precisava ser fechado do que com a segurança. Quando lembro da água por todos os lados ainda tremo. Fiquei lembrando daquelas matérias que passam no Jornal Nacional mostrando o povo em cima dos carros tentando se salvar.

Quer saber?? Nunca mais uma dessas... Se der para chegar, eu chego, se não der... meia volta. Afinal, não pretendo me transformar em notícia.

SOBREVIVENTE



Recife e Olinda amanheceram, literalmente, embaixo d´água. E daí? Você pode perguntar. Daí que eu moro em Recife e trabalho em Olinda. Daí que sai de casa às 4:30 da manhã, sozinha para ir trabalhar e, claro, tive que encarar o aguaceiro. Fazia tempo que eu não rezava tanto. Meu carro deu sinais que não ia suportar e que morreria afogado. Por sorte e ajuda dos anjos ele seguiu em frente, mas não sem consequêcias. O bichinho está que parece uma piscina, cheio de água por todos os lados. Prejuízo meu, que vou ter que arrumar um jeito de mandar lavar e enxugar tudo com URGÊNCIA!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Clareza

Eu realmente não sei como consigo não aprender as coisas. Agora, me respondam: Como uma pessoa, no meio de uma briga com uma colega de trabalho, na frente da chefe diz: "EU NÃO CONFIO EM VOCÊ!" ? Precisa, Laura, ser sempre tão clara?? Há certas verdades que não precisam ser ditas, né?

O fato é que, dizendo ou não, precisava desse arranca-rabo pra me sentir mais segura e confiante na qualidade do trabalho que faço. E viva a baixaria!

terça-feira, 7 de abril de 2009

Responsabilidades

Tipo assim, todo mundo concorda com você, dá tapinhas nas suas costas e diz que sabe que você está certa. Ouve apoio do tipo "estou bestificado" ou "é incrível que uma coisas dessas aconteça", mas, na hora do pegapacapá mesmo... Cadê todo mundo? Fogem igual formiga quando alguém ameaça o formigueiro!

Eu acho que sou mesmo uma figura em extinção. Como diz o meu marido "há momentos em que a inocência vira burrice". Estou aprendendo....

quinta-feira, 2 de abril de 2009

teste


Esses testes são uma onda. Mas, até que dessa vez falou bem de mim. Confira em: http://editora.globo.com/pesquisas/quiz_marieclaire_180309.htm

O meu resultado foi esse aí de cima e diz:
SALTOS CONFORTÁVEIS
Você é a "girl next door" que está pronta para qualquer situação – assim como os sapatos que tem no closet. É versátil, flexível e vai facilmente do básico para um lado mais "menininha" quando sai com as amigas, por exemplo. Sua atitude cool e ao mesmo tempo casual é prova da facilidade com que se adapta a vários estilos.